fbpx

Oferecer diversos meios de pagamento para o cliente é a melhor maneira de evitar desistências e facilitar as compras. A emissão de boletos além de ser uma opção mais prática para quem recebe, costuma ser mais barata em relação a taxas, em comparação às transações com cartão. Porém, por ser um tema que envolve o banco e dinheiro, é normal que surjam muitas dúvidas.

Por isso, preparamos duas matérias para lhe ajudar a solucionar todas as dúvidas sobre boleto bancário. Entenda como funciona, quais os tipos de boletos, passo a passo de como emiti-los, entre outras questões que ainda podem te deixar confuso.

Afinal, o que é o boleto bancário?

O boleto nada mais é que um meio de pagamento que permite cobrança de valores. Para emitir esse título, basta a empresa possuir uma conta bancária com carteira de cobrança junto ao banco. As principais diferenças entre os boletos são os tipos de cobranças, que podem ser feitos com ou sem registro.

E como ele funciona?

Para gerar um boleto de cobrança, é necessário primeiramente procurar o gerente de banco, ou cargo similar, para lhe auxiliar na habilitação de uma conta corrente, ativando assim a carteira de cobrança com finalidade específica para o que você procura.

Já para emitir, podem ser usadas ferramentas do próprio banco ou de sistemas externos que auxiliam na organização dos dados. A pessoa jurídica então identifica o cliente com seus dados e estabelece um prazo para receber o pagamento.

Após efetuado o pagamento, o valor é debitado em um prazo fixado pelo banco. Para facilitar o controle de inadimplências e liberação de mercadorias, mantenha em monitoramento quais documentos estão em aberto e quais já foram pagos.

Tipos de boleto: simples ou com registro?

Nos boletos simples, a empresa basicamente emite a cobrança para o cliente, sem que o banco seja informado sobre os dados do comprador e prazo de vencimento. É uma maneira mais flexível porém é preciso que a empresa fique atenta aos registros de pagamentos por não haver controle do banco sobre isso.

Já no caso dos boletos com registro, a empresa emite o boleto e registra todos os dados no banco, através do arquivo de remessa como comprador e data de pagamento. Para isso é cobrada uma taxa de serviço, que varia de acordo com o banco. A segurança é maior nesse tipo de emissão, pois é a instituição bancária quem controla a cobrança.

Fim dos boletos sem registro

O principal motivo para abandonar os boletos simples é a mudança promovida pela Febraban (Federação Brasileira de Bancos) nas regras de emissão de boleto. A partir de Dezembro deste ano, todas a carteiras serão migradas para opções com registro. Ou seja, não haverá mais a possibilidade emissão de boletos simples a partir de janeiro de 2017.

E como emitir o boleto?

A emissão de boleto bancário pode ser feita através do próprio sistema oferecido pelo banco ou através de soluções específicas para isso.

Na solução para força de vendas oferecida pela VendasExternas, a emissão de boletos bancários pode ser feita via tablet ou smartphone, impressa em impressora portátil e tudo isso na presença do cliente. A partir da integração com um ERP, é possível consolidar todos os dados financeiros.

Continua com algumas dúvidas em relação a emissão de boletos e outras questões?

No próximo post explicaremos passo a passo como funciona a emissão de boletos, além das vantagens ao utilizá-lo. Não deixe de acompanhar nossos conteúdos e compartilhar suas experiências nos comentários.

Equipe VendasExternas
Oferecemos soluções para gestão das vendas, destinadas a empresas que atuam em canais como força de vendas, lojas virtuais e televendas. Baixe gratuitamente nosso aplicativo de pedidos clicando aqui.