As fases do controle de estoque dos veículos devem passar por procedimentos fiscais, justamente para que sua equipe de vendas em campo não tenha surpresas durante sua rota de vendas.

O processo de vendas que acontece na forma de pronta entrega, consiste no fato do vendedor já levar em seu veículo todos ou boa parte daquilo que será ofertado aos clientes durante sua rota de vendas.

Muitas empresas que antes trabalhavam no regime de pré-vendas, onde o vendedor apenas fazia o pedido e a mercadoria entregue posteriormente, têm migrado para a modalidade de venda a pronta entrega

São diversos os fatores que justificam essa onda de adoção ao modelo de venda e entrega imediata e os principais são:

  • melhora na satisfação do cliente pois, com o abastecimento imediato, não ocorrem rupturas (falta de produtos) significativas no controle de estoque;
  • aumento no ticket médio das vendas, ligado a questão emocional e do imediatismo;
  • reforço na margem de lucro da empresa, pois com menos pessoas envolvidas no processo, o custo operacional diminui.

Agora que você já entendeu os motivos pelos quais a venda de produtos a pronta entrega são uma boa alternativa para sua empresa, vamos falar do funcionamento e da importância do controle de estoque mantido nos veículos dos vendedores.

Como falamos no início do texto, na venda a pronta entrega o vendedor já sai com a rota de atendimentos planejada e as mercadorias no veículo. Para que a empresa não perca o controle do que está saindo da empresa, sendo vendido e retornando, é realizado um processo fiscal chamado de emissão de nota fiscal de remessa.

As fases do controle de estoque dos veículos devem passar por procedimentos fiscais, justamente para que sua equipe de vendas em campo não tenha surpresas durante sua rota de vendas.

 

Tipos de documentos fiscais que norteiam as vendas a pronta entrega

O carregamento de produtos nos veículos dos vendedores deve ser acompanhado por uma nota fiscal de remessa, cujo CFOP varia de acordo com o tipo de produto e localidade onde serão feitas as vendas.

As CFOPs mais comuns em notas fiscais de remessa são:

  • 5904 – Remessa para venda fora do estabelecimento;
  • 6904 – Remessa para venda interestadual fora do estabelecimento;
  • 5414 – Remessa de produção própria para venda fora do estabelecimento, sujeita a ST (substituição tributária);
  • 6414 – Remessa de produção própria para venda interestadual fora do estabelecimento, sujeita a ST;
  • 5415 – Remessa de mercadoria de terceiros para venda fora do estabelecimento, sujeita a ST (substituição tributária);
  • 6415 – Remessa de mercadoria de terceiros para venda interestadual fora do estabelecimento, sujeita a ST (substituição tributária);

Quando o vendedor concluir seu roteiro de vendas, os produtos remanescentes no carro devem gerar um novo documento fiscal. A nota fiscal de devolução da remessa, deve ser gerada com alguns destes CFOPs:

  • 1904 – retorno de remessa para venda fora do estabelecimento;
  • 2904 – retorno de remessa para venda fora do estabelecimento fora do estado;
  • 1414 – Retorno de produção do estabelecimento, remetida para venda fora do estabelecimento em operação com produto sujeito ao regime de substituição tributária;
  • 2414 – Retorno de produção do estabelecimento, remetida para venda fora do estabelecimento em operação com produto sujeito ao regime de substituição tributária (interestadual);
  • 1415 – Retorno de mercadoria adquirida ou recebida de terceiros, remetida para venda fora do estabelecimento em operação com mercadoria sujeita ao regime de substituição tributária;
  • 2415 – Retorno de mercadoria adquirida ou recebida de terceiros, remetida para venda fora do estabelecimento em operação com mercadoria sujeita ao regime de substituição tributária (interestadual).

     

Qual tipo de software gera esses documentos fiscais?


A legislação brasileira é complexa e para que sua empresa não seja afetada pela desinformação ou falta de uma solução adequada, é importante contar com um sistema especialista no assunto. 

O VendasExternas, o sistema número 1 da pronta entrega, gera todos esses documentos fiscais e permite que gestor e vendedor consigam:

  • Fazer o planejamento e a carga dos produtos que serão levados pelo vendedor;
  • Criar uma rota de vendas;
  • Vender emitindo nota fiscal com operações variadas (venda, bonificação, consignação, comodato, devolução);
  • Cobrar a partir da geração de um boleto bancário ou em máquina de cartão integrada;
  • Fechar a rota com conferência da carga e acertos financeiros.

Que tal testar gratuitamente o VendasExternas? É simples, basta acessar a página e solicitar seu login: